Aspirina previne cancro do pâncreas

Estudo baseou-se no consumo de anti-inflamatórios

08 agosto 2002
  |  Partilhar:

A aspirina reduz a incidência do cancro do pâncreas em cerca de 43%, refere um estudo de cientistas da universidade de Minnesota, nos Estados Unidos publicado esta quarta-feira na revista do Instituto Nacional de Oncologia.
 

 

Diversas investigações realizadas nos últimos anos indicam que a aspirina, além de aliviar a dor, é um factor de redução de muitos problemas de saúde, incluindo cardíacos e tumores que potencialmente antecedem o cancro do cólon.
 

Este estudo baseou-se na análise do consumo de aspirina e outros medicamentos anti-inflamatórios em mais de 26 mil mulheres entre 1992 e 1999.
 

 

Os investigadores descobriram que as mulheres que consumiam aspirina registavam uma redução de 43% de risco de contraírem cancro do pâncreas.
 

 

O estudo indica ainda que de 80 casos de cancro pâncreático, 33 correspondem a mulheres que nunca tomaram aspirina e 27 em mulheres que consumiram menos de uma vez por semana.
 

 

Ernest Hawk, do Instituto Nacional de Oncologia, advertiu, no entanto, que os resultados da investigação não são concludentes e que é necessário intensificar o estudo de riscos e benefícios do consumo da aspirina .
 

 

Fonte:Diário Digital
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.