Aspirina em doentes com cancro colon-rectal aumenta sobrevida

Estudo publicado no JAMA

13 agosto 2009
  |  Partilhar:

As pessoas diagnosticadas com cancro colon-rectal que passam a consumir aspirina reduzem o risco de morte, revela um estudo publicado no “Journal of the American Medical Association” (JAMA).

 

Estudos anteriores já tinham demonstrado uma ligação entre o consumo regular do analgésico e a redução do risco de adenoma colon-rectal (tumor benigno). Isto porqueo ácido acetilsalicílico funciona ao inibir a enzima CO2 que promove a inflamação e o crescimento do tecido tumoral. Contudo, até ao momento, era desconhecido o seu benefício nos tumores do cólon já instalados.

 

A equipa liderada por Andrew Chan, do Massachusetts General Hospital and Harvard Medical School, em Boston, EUA, estudou a relação entre a aspirina e a sobrevivência de 1.729 pacientes com cancro colon-rectal não metastático.

 

Segundo o relatório do estudo, o consumo regular de aspirina foi relacionado com uma grande redução no risco de morte por cancro colon-rectal e a uma redução da mortalidade em geral.

 

Em comparação com os pacientes que não tomaram o analgésico após o diagnóstico, nos doentes que tomaram o analgésico, o risco de morte como consequência da doença foi 29% inferior e o risco da mortalidade geral desceu 21%.

 

"Estes resultados sugerem que a aspirina pode ter influência na biologia dos tumores colon-rectais, além de prevenir o seu aparecimento", explicou o autor do estudo Andrew Chanao sítio Eurekalert.

 

O investigador indicou, contudo, ser necessário realizar estudos de maior escala sobre os efeitos da aspirina e incluir testes com placebo.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.