Aspirina diminui risco do cancro das vias biliares

Estudo publicado na revista “Hepatology”

29 abril 2016
  |  Partilhar:

A toma regular de aspirina está associada a uma diminuição do risco do cancro das vias biliares, também conhecido como colangiocarcinoma, sugere um estudo publicado na revista “Hepatology”.
 

Vários estudos têm indicado que a aspirina está associada a uma diminuição do risco de vários tipos de cancro, especialmente aqueles que atingem o trato gastrointestinal. De forma a investigar o potencial efeito da aspirina na prevenção do cancro das vias biliares, os investigadores da Mayo Clinic, nos EUA, levaram a cabo um estudo de grande dimensões para avaliar os fatores de risco deste tipo de cancro em populações ocidentais.
 

O estudo incluiu 2.395 pacientes com cancro das vias biliares que tinham sido avaliados na Mayo Clinic entre 2002 e 2014, bem como 4.769 indivíduos controlo. Um total de 591 pacientes com cancro das vias biliares e 2.129 dos indivíduos controlo tomavam aspirina.
 

Os investigadores, liderados por Jonggi Choi, constataram que os indivíduos que tomavam aspirina apresentavam um risco 2,7 a 3,6 vezes menor de desenvolver cancro das vias biliares, comparativamente com aqueles que não tomavam este fármaco. Adicionalmente verificou-se que a colangite esclerosante primária, uma condição inflamatória que provoca cicatrizes dentro das vias biliares, doenças do trato biliar, cirrose, hepatite B, diabetes e tabagismo, conferiam risco de magnitudes diferentes para os três diferentes subtipos de cancro das vias biliares. Estes resultados apoiam a hipótese de que os subtipos do cancro das vias biliares são doenças distintas com os seus próprios fatores de risco.
 

Jonggi Choi refere que a inflamação crónica persistente é um dos elementos chave que promove o cancro das vias biliares e todos os fatores de risco bem conhecidos deste tipo de cancro aumentam o risco ao induzir a inflamação crónica nas vias biliares.
 

O investigador acrescentou que a aspirina é um agente anti-inflamatório e que pode reduzir o risco de cancro das vias biliares ao diminuir a inflamação através da inibição da enzima ciclogenase. Estudos anteriores já tinham demonstrado que a aspirina também bloqueia vias biológicas adicionais que promovem o desenvolvimento do cancro.  
 

“Até à data, tem havido poucas evidências do potencial papel da aspirina na prevenção do cancro das vias biliares. O nosso estudo fornece a primeira evidência disto”, concluiu Roongruedee Chaiteerakij.
 

No entanto, os investigadores referem são necessários mais estudos antes de a aspirina ser recomendada como um agente quimiopreventivo do cancro das vias biliares.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.