Aspartame não apresenta perigo para a saúde

Meta-análise publicada na revista “Critical Reviews in Toxicology”

24 setembro 2007
  |  Partilhar:

 

Mais de 500 estudos sobre o aspartame foram reavaliados com o intuito de esclarecer os possíveis efeitos nefastos para a saúde deste edulcorante.
 

 

 

Um painel internacional de peritos reavaliou os resultados de mais de 500 estudos toxicológicos, clínicos e epidemiológicos, realizados entre os anos 70 e a actualidade, sobre os efeitos do aspartame em pessoas de todas as idades, saudáveis ou afectadas por doenças como a Diabetes, a Hiperactividade ou a doença de Parkinson.
 

 

Utilizando os dados norte-americanos mais recentes (2001-2002) para estimar os níveis actuais de consumo de aspartame, os autores concluem, na edição de Setembro da revista Critical Reviews in Toxicology que “o aspartame é inócuo aos níveis actuais de consumo, que continuam a ser muito inferiores aos níveis diários aceitáveis, mesmo nas subpopulações de alto consumo”.
 

 

Segundo o estudo, “não foram encontradas provas credíveis para o facto de o aspartame ser cancerígeno, neurotóxico ou ter quaisquer outros efeitos adversos, mesmo quando consumido a níveis muito superiores aos níveis aceitáveis estabelecidos."
 

 

Fontes: Público e Imprensa Internacional
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.