Asma propicia bullying

Estudo apresentado no congresso da European Respiratory Society

05 setembro 2012
  |  Partilhar:

Investigadores do Reino Unido descobriram vários fatores que poderão explicar o motivo pelo qual as crianças asmáticas têm um risco aumentado de serem alvo de bullying.
 

O estudo, apresentado no congresso anual da European Respiratory Society, chama a atenção para a necessidade dos médicos dialogarem com as crianças asmáticas sobre o bullying, assim como sobre o impacto que esta doença respiratória pode ter noutras áreas das suas vidas.
 

As crianças que sofrem de doenças crónicas são habitualmente alvo de bullying, contudo nem sempre é claro os fatores que contribuem para este tipo de associação. De forma a clarificar este tema, os investigadores do Derbyshire Children's Hospital, no Reino unido, reuniram cerca de 943 questionários respondidos por crianças com sete anos e asmáticas, bem como os seus pais, que avaliaram as condições habitacionais e estilo de vida de ambos.
 

O estudo apurou que existem vários fatores que contribuem para um aumento do risco de bullying, nomeadamente uma reduzida participação em desportos e sentimentos de tristeza. Adicionalmente foi também verificado que existem outros fatores, passíveis de serem melhorados, que também estão associados a este tipo de situações como pobre controlo da asma, tabagismo parental e preocupação dos pais com a saúde dos seus filhos.
 

“Estes resultados enfatizam a necessidade dos profissionais de saúde falarem com os pacientes sobre os efeitos que esta condição tem em todos os aspetos da vida. Sabemos que o bullying está associado com a asma e estes resultados poderão ajudar a entender o motivo desta associação”, referiu em comunicado de imprensa, um dos líderes do estudo, Will Carroll.
 

“Identificámos vários fatores que podem ser alterados (...), nós, como médicos, devemos trabalhar com as famílias, de forma assegurar que estes fatores sejam minimizados, assim como os estabelecimentos de ensino e professores de forma a assegurar a participação destas crianças em desportos, a um nível seguro para elas”, acrescentou o investigador.
 

Will Carroll, também pai de uma criança asmática, referiu ainda que quando se tem um filho com asma induzida pela prática de exercício físico é difícil motivá-lo a participar em atividades. Apesar de ser algo que pode atemorizar os pais, os benefícios de saúde e sociais superam o medo e pode ajudar a combater o bullying.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.