As mulheres beneficiam de mamografia após os 75 anos?

Estudo apresentado no congresso da Sociedade Radiológica da América do Norte

29 novembro 2018
  |  Partilhar:
Um novo estudo indicou que as mulheres deveriam continuar a fazer mamografias após os 75 anos de idade, indicou um novo estudo.
 
“Os nossos achados proporcionam dados que demonstram que há vantagens em fazer o rastreio a mulheres com mais de 75 anos, pois existe uma incidência de cancro considerável”, comentou Stamatia Destounis, radiologista na instituição clínica Wende Breast Care, EUA, que liderou o estudo.  
 
Para o estudo, a investigadora e colegas analisaram dados de 763.256 mamografias efetuadas na Wende Breast Care entre 2007 e 2017. Os exames permitiram detetar casos de cancro em 3.944 pacientes.
 
Foi ainda apurado que 76.885 (10%) das participantes no estudo tinham 75 anos ou mais de idade. A média de idades daquele grupo era de 80,4 anos. Foram detetados 645 casos de malignidade em 616 pacientes, para um índice de 8,4 cancros por cada 1.000 exames neste grupo.
 
Resumindo, a pequena percentagem de pacientes desta faixa etária perfez 16% de todas as pacientes diagnosticadas com cancro detetado em rastreios, afirmou Stamatia Destounis.
 
Adicionalmente, a equipa descobriu que 82% dos cancros diagnosticados eram invasivos, 63% dos quais eram de grau 2 e 3, estádios em que a doença se desenvolve e espalha com maior rapidez.
 
Com efeito, “a maioria dos tumores encontrados nesta faixa etária eram invasivos e quase todas aquelas pacientes – 98 por cento – foram submetidas a cirurgia”, explicou a radiologista. Os restantes não foram submetidos a tratamento cirúrgico devido a idade avançada ou a um mau estado de saúde das pacientes.
 
Os investigadores concluíram assim que as mulheres que se encontrem em relativamente boa saúde devem continuar a fazer o rastreio do cancro da mama de rotina para além dos 75 anos de idade.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar