Artrite reumatóide tem "muito impacto" na actividade profissional

Resultados do primeiro inquérito sobre a doença em Portugal

08 julho 2009
  |  Partilhar:

 

 

Mais de um quarto dos doentes com artrite reumatóide diz que a doença tem “muito impacto” na sua actividade profissional e, destes, 28% pediram a reforma antecipada, revela o primeiro inquérito sobre a doença em Portugal.

 

 

 

Os primeiros resultados do inquérito “Artrite Reumatóide em Portugal - Viver com uma doença muito incapacitante”, efectuado pela Associação Nacional dos Doentes com Artrite Reumatóide (ANDAR), foram divulgados nesta terça-feira, em Lisboa.

 

O estudo, que ainda está a decorrer e envolve cerca de 500 doentes, tem como objectivo verificar o impacto da doença no trabalho e constatar como o doente classifica o seu estado de saúde.

 

Segundo o estudo, apenas 32% dos doentes consideraram que estavam “bem, muito bem ou excelente”, enquanto 28% afirmaram estar “mal a muito mal”.

 

O médico António Vilar, presidente da ANDAR, explicou à agência Lusa que as melhores terapêuticas disponíveis permitem eliminar os sintomas da doença em 90% dos casos. “Quer os indicadores de remissão quer os indicadores de doentes sem sintomas estão muito abaixo daquilo que hoje é possível atingir com os melhores tratamentos e as melhores práticas clínicas”, salientou António Vilar, defendendo que é preciso “proporcionar aos doentes mais e melhores cuidados”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.