Artrite reumatoide: identificado novo alvo terapêutico

Estudo publicado na revista “Arthritis Research & Therapy”

29 novembro 2016
  |  Partilhar:

Investigadores do Reino Unido descobriram o papel dos diferentes tipos de fibroblastos no desenvolvimento da artrite reumatoide, dá conta um estudo publicado na revista “Arthritis Research & Therapy”.

 

Os fibroblastos sinoviais são células que fazem parte do tecido conjuntivo, ou sinovial, em torno das articulações humanas. Em pacientes com artrite reumatoide, os fibroblastos sinoviais causam danos ao invadirem e atacarem a cartilagem e o osso em torno da articulação.
 

Neste estudo, os investigadores da Universidade de Birmingham, Reino Unido, identificaram dois tipos distintos de fibroblastos sinoviais na membrana sinovial. Verificou-se que estes tipos de células, definidos pela presença dos marcadores de superfície PDPN e CD248, se agregam em diferentes camadas do tecido conjuntivo e que apenas o PDPN é responsável pelos danos na cartilagem em pacientes com artrite reumatoide.
 

Para o estudo, os investigadores, liderados por Christopher D. Buckley, recolheram fibroblastos sinoviais de pacientes com artrite reumatoide e colocaram-nos a crescer in vitro em tecido sinovial artificial, tendo-os ativado com proteínas indutoras de stress (citoquinas).
 

O tecido sinovial e os fibroblastos foram inseridos num ratinho, sem sistema imunitário, junto com cartilagem humana para simular uma articulação, de forma a verificar se os fibroblastos sinoviais eram capazes de se desenvolver in vivo.
 

Após o implante, verificou-se que a camada de "revestimento" do tecido sinovial artificial, ou seja, a parte mais próxima da cartilagem, continha fibroblastos sinoviais invasivos do tipo PDPN, enquanto a parte que estava mais afastada da cartilagem continha fibroblastos sinoviais não invasivos do tipo CD248.
 

O estudo também confirmou a descoberta recente de que os fibroblastos sinoviais ativados podem migrar através dos vasos sanguíneos para atacar outras cartilagens no corpo. Com base nestes achados, ficou demonstrado que os fibroblastos sinoviais invasivos do tipo PDPN foram os primeiros a migrar. As células CD248 só apareceram em tecidos secundários numa fase posterior.
 

Adam Croft, um dos autores do estudo, conclui que estes resultados são extremamente prometedores, uma vez que podem ajudar a encontrar novos alvos terapêuticos para o tratamento da artrite reumatoide.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A. 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar