Artrite reumatóide afeta 50 mil portugueses

Estudo da Sociedade Portuguesa de Reumatologia

09 abril 2012
  |  Partilhar:

A artrite reumatóide afeta cerca de 50 mil portugueses, dá conta um estudo epidemiológico da Sociedade Portuguesa de Reumatologia (SPR) a decorrer até 2013.

 

O primeiro estudo epidemiológico sobre as doenças reumáticas em Portugal, que conta com a participação de 10 mil portugueses, irá permitir estimar a prevalência destas patologias, identificar fatores sócio-demográficos e clínicos associados ao seu diagnóstico e determinar o seu impacto na qualidade de vida das pessoas.

 

"Até ao momento, os resultados são preliminares e são tratados a partir de um estudo efetuado em indivíduos da Grande Lisboa, que representam pouco mais de 1000 inquiridos dos 10 mil envolvidos no estudo", revelou à agência Lusa o presidente da SPR.

 

Luís Maurício adiantou que esta prevalência da doença na população já era esperada: "julgaríamos estar à volta dos 0,4% e os estudos preliminares apontam para valores de 0,5%. No fundo, são sobreponíveis àquilo que esperávamos encontrar".

 

"Apesar dos números apontarem para cerca de 50 mil portugueses com esta doença o que é facto é que se ela não for diagnosticada e tratada precocemente, o prognóstico desses doentes é extremamente desfavorável, com condições que conduzirão à sua incapacidade”, adiantou.

 

De acordo com o especialista, esta é uma “situação indesejável”, sobretudo quando existem tratamentos, nomeadamente as terapêuticas biológicas, que permitem que a doença entre em remissão em cerca de um terço dos casos.

 

Apesar de achar que, no geral, não há dificuldades no acesso ao tratamento, o presidente da SPR firmou que há situações de doentes que percorrem longas distâncias para levantar o medicamento e, em vez de lhes ser dado um medicamento para três ou quatro aplicações, é-lhes entregue apenas para uma aplicação, obrigando-os a fazer três e quatro deslocações repetidas.

 

Na artrite reumatóide, o sistema imunitário, que habitualmente protege o indivíduo contra infeções e outras doenças, está alterado e ativa uma cascata de acontecimentos que causam inflamação e destruição de tecidos saudáveis do organismo. À medida que a doença vai progredindo, a dor, a destruição articular e a perda de movimentos podem diminuir a capacidade funcional e comprometer a qualidade de vida.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 2Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.