Arroz geneticamente modificado pode substituir injecções de insulina

Diabetes poderá ter um combate mais saudável

14 maio 2003
  |  Partilhar:

Cientistas japoneses desenvolveram uma variedade de arroz geneticamente modificado que favorece a produção de insulina por parte do organismo humano, avanço que poderá representar o fim das injecções que os diabéticos têm de tomar regularmente.
 

 

A nova variedade foi desenvolvida pelo Instituto Nacional de Ciências Agrobiológicas (NIAS), pela empresa Japan Paper Industries e pelo o instituto de investigação Sanwa Kagaku.
 

 

Trata-se da primeira vez em todo o mundo que um alimento é desenvolvido como tratamento eficaz para os diabetes, afirmou Fumio Takaiwa, chefe da equipa de investigação do NIAS. A nova variedade de arroz contém uma taxa elevada de uma outra hormona, a GLP-1, que ajuda o pâncreas a produzir insulina.
 

 

A descoberta «é histórica porque vai permitir comer o alimento de base e, ao mesmo tempo, fazer aumentar a secreção de insulina e baixar o nível de glucose no sangue» dos diabéticos de tipo 2 (diabetes que aparece na idade adulta, muitas vezes ligada a problemas de obesidade), indicaram os três parceiros japoneses.
 

 

Os especialistas calculam que um prato de arroz (cerca de 150 gramas) a cada refeição deverá ser suficiente para controlar o nível de glucose dos diabéticos. O arroz estará pronto para comercialização dentro de dois ou três anos, mas Takahito Jomori, do Sanwa Kagaku, estima que o processo leve mais algum tempo.
 

 

A diabetes caracteriza-se por um excesso crónico e tóxico de açúcar no sangue devido a uma secreção insuficiente de insulina pelo pâncreas.
 

 

Mais de 150 milhões de pessoas sofrem de diabetes em todo o mundo, doença que pode causar uma perda progressiva da visão, problemas renais e, por vezes, a morte.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.