Arnica é ineficiente

Remédio homeopático não prova eficácia em tratamento pós-cirúrgico

04 fevereiro 2003
  |  Partilhar:

A arnica, um dos mais conhecidos remédios homeopáticos, provou não ser mais eficiente do que o placebo (substância sem efeito químico usada em tratamentos e estudos controlados) em experiências clínicas. Entretanto, alguns especialistas afirmam que o estudo é vago e não prova que a arnica não tem efeito.
 

 

Os comprimidos de arnica são encontrados facilmente em farmácias da especialidade e recomendados para tratar hematomas, reduzir inchaços e ajudar na recuperação de um ferimento ou de uma operação.
 

 

Mas apesar de haver vários relatos de casos nos quais a arnica realmente funcionou, estudos científicos produziram resultados contraditórios.
 

 

Investigadores da Universidade de Exeter, na Grã-Bretanha, estudaram três grupos de pacientes que iriam ser submetidos a cirurgias no pulso para tratar o síndroma do túnel carpo, a compressão de um nervo da mão. Um grupo recebeu comprimidos de arnica de alta potência, que deveriam ser ingeridos antes da operação e depois, por duas semanas.
 

 

Outro grupo recebeu pílulas de baixa potência, e um terceiro ingeriu comprimidos de placebo. Os pacientes responderam a um questionário sobre o seu estado de saúde, antes e depois da cirurgia. Numa espécie de diário, os pacientes foram relatando os seus sintomas e o uso de analgésicos. O hospital também analisou fotografias dos pulsos dos doentes, usando para tal computadores para medir o tamanho dos hematomas.
 

 

Segundo os cientistas, não houve diferença significativa entre os grupos em termos de dor, hematomas, inchaços ou no número de analgésicos que cada paciente teve de tomar. «Espero que este trabalho ajude as pessoas a procurar tratamentos mais efectivos e a economizar dinheiro, ao deixarem de comprar arnica», disse à BBC o investigador que chefiou o estudo, Edzard Ernst.
 

 

Para Ernst, a arnica ganhou uma boa reputação porque as pessoas que a utilizam com bons resultados têm mais tendência a falar sobre o sucesso do tratamento com os amigos, enquanto as que não obtêm resultados não comentam o assunto. Janet Richardson, presidente do Conselho de
 

Investigação na área da Medicina Complementar, disse à BBC que o resultado do estudo não é conclusivo. «Os resultados deste estudo indicam que pessoas submetidas a cirurgia do túnel do carpo não beneficiam do uso da arnica», afirmou, acrescentando que, no entanto, «isso não significa que a arnica não possa ajudar em outros casos».
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.