Aquecimento global e as alergias

CO2 eleva quantidade de pólens na atmosfera

26 março 2002
  |  Partilhar:

Se as previsões sobre as tendências de aquecimento global forem verdadeiras, as pessoas com alergias vão sofrer muito em 2050. Investigadores da Universidade de Harvard afirmam que os crescentes níveis de dióxido de carbono (CO2) podem elevar a quantidade encontrada no ar de pólen de tasneira ou tasneirinha, uma planta causadora de alergia.
 

 

No estudo, o principal autor, Peter Wayne, da Universidade de Harvard, em Cambridge (Massachusetts), e a sua equipe mediram as contagens de pólen de tasneira cultivada em estufas em níveis atmosféricos de CO2 previstos para os anos de 2050 a 2100. Traduzida em números, o trabalho científico apontou para uma duplicação da concentração atmosférica de CO2 nas estufas o que estimulou a produção de pólen da erva em 61 por cento.
 

 

As concentrações de CO2 aumentaram 29 por cento desde o período pré-industrial e devem dobrar novamente durante a segunda metade desse século, de acordo com o estudo publicado na edição de Março de "Annals of Allergy, Asthma, and Immunology".
 

 

Muitos cientistas acreditam que o aumento das concentrações atmosféricas de CO2 e outros gases causadores do efeito de estufa produzidos pela queima de combustíveis fósseis contribui para um aquecimento gradual do clima global.
 

 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.