Apendicite pode ser resultado de virose

Estudo publicado nos “Archives of Surgery”

22 janeiro 2010
  |  Partilhar:

Investigadores norte-americanos analisaram os registos clínicos de atendimentos do Hospital National Discharge Survey, um estudo que abrangeu um período de 36 anos, e avançam com a hipótese de que a apendicite possa ser uma doença viral. O estudo foi publicado nos “Archives of Surgery”.

 

Os investigadores, liderados por Edward Livingston da University of Texas Southwestern Medical Center, constataram variações sazonais e concentrações de casos de apendicite que suportam a teoria de que ela possa ser uma doença viral. Os dados estatísticos analisados revelaram picos - que poderiam ser "focos" de apendicite - nos anos 1977, 1981, 1984, 1987, 1994 e 1998. Por exemplo, em 1995 houve um aumento inesperado de casos de apendicite, invertendo uma tendência decrescente ao longo dos últimos 25 anos. Outro exemplo foi o facto de ter sido verificado um ligeiro aumento dos casos de apendicite durante o Verão.

 

Segundo o investigador, “os picos sazonais sugerem ser muito possível que os casos de apendicite possam estar relacionados com mecanismos patogénicos ou factores ambientais”.

 

Outro assunto abordado no estudo foi o facto de, ao cruzarem dados apresentados nas fichas de admissão hospitalar, terem afastado como causa directa da apendicite os vírus da gripe, o rotarívus e outras infecções comuns.

 

O primeiro caso de apendicite foi relatado em 1886. Desde então, os médicos têm presumido que a rápida remoção do apêndice seria uma necessidade para evitar uma posterior ruptura, que poderia originar numa situação de emergência. Dado que a remoção do apêndice resolve os problemas e é geralmente segura, tem sido uma prática médica padrão desde o início do século XX.

 

Mas a revisão dos dados de alta hospitalar deste estudo sugere que a apendicite não tem necessariamente de levar à cirurgia de emergência. Citado pelo sítio “Eurekalert”, o investigador dá o exemplo do caso dos marinheiros que só são atendidos num hospital dias após os primeiros sinais de apendicite.
 

 

Contudo, segundo o especialista, embora a apendicite seja muito comum, ainda permanece um mistério frustrante para os médicos. "Apesar de sabermos que a remoção cirúrgica é um tratamento eficaz, ainda não sabemos qual é a finalidade do apêndice, nem o que faz com que ele fique obstruído."

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.