Apenas 300 genes nos separam dos ratinhos

Mais um importante contributo na compreensão do cancro e outras doenças

05 dezembro 2002
  |  Partilhar:

A sequenciação de mais de 95 por cento do genoma dos ratinhos pode revelar mais do que apenas as instruções genéticas da cobaia mais usada no estudo das mais variadas doenças humanas. Hoje, na revista Nature, várias equipas internacionais abrem o livro da vida dos ratinhos, revelando que temos 99 por cento de material genético comum. Apenas 300 genes separam o homem do ratinho.
 

 

O trabalho hoje publicado divulga nove mil novos genes de ratinho Mus musculus. Mas o que é mais importante é que, através deste animal, ficamos agora a conhecer mais 1220 genes humanos, que podem ser a chave para a compreensão de certos tipos de cancro ou de outras doenças, defendem os cientistas que participam no consórcio público internacional para a descodificação do genoma do ratinho.
 

 

“Partilhamos 99 por cento dos genes com os ratinhos. Até temos ainda os genes necessários para que nos cresça uma cauda”, comentou Jane Rogers, do Instituto Sanger, uma das autoras de um dos artigos hoje divulgados pela Nature.
 

 

Leia tudo no Público

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.