Antraz: O que fazer com envelopes ou encomendas suspeitos?

Protecção Civil lança recomendações

16 outubro 2001
  |  Partilhar:

À semelhança de um comunicado divulgado pelo FBI sobre o modo como deve actuar para evitar o contacto com o antraz, a Protecção Civil portuguesa lança, de igual modo, as seguintes recomendações:
 

 

Cartas ou encomendas suspeitas:
 

 

- não tenham remetente
 

- com muitos selos
 

- venham de outro país que não seja Portugal
 

- contenham no remetente ou destinatário palavras mal escritas
 

- com metais a sair do envelope/encomenda
 

- sejam rígidas de cartão grosso
 

- com cheiro estranho, gordurosas, descolorado ou com cristais
 

- com fita colas ou fios
 

 

 

 

Como tratar os objectos suspeitos:
 

 

- Não abrir
 

- Manusear com cuidado
 

- Não agitar, não cheirar, não provar
 

- Isolar em um ou mais sacos
 

- Chamar o 112 ou entregar, devidamente acondicionados em vários sacos, na PSP ou GNR da sua região
 

 

 

Segundo a Organização Mundial de saúde «É preciso ser vigilante e cauteloso, mas a histeria e o pânico não são respostas sensatas ao aparecimento de novos casos». Segundo o porta-voz, Iain Simpson, os médicos americanos e europeus estão preparados para detectar casos de antraz e lembrou que a doença é facilmente tratada com antibióticos se for diagnosticada numa fase inicial.
 

 

 

Paula Pedro Martins
 

 

MNI - Médicos Na Internet
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.