Antioxidante das ginjas relacionado a redução dos riscos cardiovasculares

Trabalho apresentado na Conferência de Biologia Experimental 2007

02 maio 2007
  |  Partilhar:

Um estudo apresentado na conferência Experimental Biology 2007, em Washington, EUA, reforça a correlação entre o consumo de anticianina (um antioxidante presente nas ginjas) e a redução dos riscos cardiovasculares e metabólicos. Os cientistas da University of Michigan utilizaram, para a sua pesquisa, 48 ratinhos fêmeas com tendência para pressão sanguínea alta, associada ao consumo de sal, altos níveis de colesterol (LDL) e problemas de tolerância à glucose. Todos os roedores observados tinham uma pré-disposição para colesterol alto (Hipercolesterolemia) e Diabetes, mas não Obesidade, segundo um comunicado divulgado pela Universidade. Os dois grupos de animais apresentavam características relacionadas com a Síndroma Metabólico, grupo de factores de risco relacionado com uma maior possibilidade para desenvolver Doenças Cardíacas e Diabetes tipo 1. Desconhece-se se as dietas ricas em ginjas terão um efeito similar nos seres humanos, mas a universidade de Michigan planeia, agora, realizar um teste clínico para proceder a essa avaliação. Fontes: Lusa e Imprensa Internacional MNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.