Antiepiléptico da Bial comparticipado na Alemanha e Dinamarca

Primeiro fármaco português aguarda comparticipação no país

01 outubro 2009
  |  Partilhar:

O primeiro medicamento de raiz e patente portuguesas, um antiepiléptico desenvolvido pela empresa Bial, recebeu a autorização de comparticipação na Alemanha e na Dinamarca, devendo começar a ser vendido em Outubro, mas está ainda à espera da comparticipação pelo Estado português.

 

O fármaco tem pedidos de autorização de introdução no mercado (AIM) e pedidos de comparticipação em vários países europeus, revelou à agência Lusa fonte da empresa.

 

Em Portugal, de acordo com fonte oficial do INFARMED (Autoridade Nacional do Medicamento), o pedido de comparticipação do fármaco está em “fase de avaliação, mas dentro de todos os prazos”.

 

O presidente da Bial, Luís Portela, admitiu em Abril que a comercialização deste novo antiepiléptico – no qual a empresa investiu mais de 300 milhões de euros em investigação nos últimos 15 anos – vai permitir à empresa triplicar a facturação para 450 milhões de euros nos próximos três a cinco anos.

 

A empresa já recebeu 170 milhões de euros pela concessão do direito de comercialização do fármaco a duas empresas, o que vai permitir a sua venda em 38 países.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.