Antidepressivo pode fazer evitar metástases de cancro da próstata

Estudo publicado na revista “Cancer Cell”

15 março 2017
  |  Partilhar:
O bloqueio da enzima MAOA diminui a capacidade de metastização das células cancerígenas da próstata
 
Uma equipa de investigadores conduziu um estudo que sugere que certos antidepressivos podem ajudar a evitar metástases do cancro da próstata nos ossos.
 
Quando o cancro da próstata se espalha, normalmente afeta os ossos em primeiro lugar. 90% das mortes por cancro da próstata envolvem metástases nos ossos. 
 
O estudo desenvolvido por Jason Wu e equipa, da Universidade do Estado de Washington-Spokane, EUA, revelou ainda a existência de uma enzima, conhecida como MAOA, que ajuda as células cancerígenas da próstata a estabelecerem metástases nos ossos. Foi descoberto que alguns antidepressivos têm o potencial de bloquear essa enzima.
 
Os investigadores descobriram que a enzima MAOA instrui uma cascata sinalizadora que simplifica o processo de metastização do cancro da próstata nos ossos. 
 
Para o estudo, a equipa inseriu linhas celulares de cancro da próstata humanas em ratinhos e analisou a atividade da enzima MAOA. Foi observado que a enzima MAOA nas células de cancro da próstata estimula três proteínas que promovem a função dos osteoclastos, que são células ósseas que desempenham um papel na degradação do tecido ósseo durante o crescimento e recuperação.
 
Jason Wu explicou que as células cancerígenas conseguem ativar especificamente os osteoclastos para degradar o osso. “O fenómeno experimental que observámos foi com efeito muito mais destruição de osso do que formação de novo osso”. 
 
Os investigadores reduziram a expressão da enzima MAOA nas células cancerígenas da próstata e descobriram que essa ação fez reduzir a capacidade de as células se espalharem para o osso. Pelo contrário a superexpressão daquela enzima nas células cancerígenas da próstata fez aumentar as metástases ósseas.
 
Seguidamente, a equipa testou o efeito de um fármaco conhecido como clorgilina nas linhas celulares cancerígenas da próstata. A clorgilina é um antidepressivo e sabe-se que bloqueia a atividade da MAOA. A equipa descobriu que o fármaco evitava que a MAOA ativasse três proteínas que fazem aumentar a função dos osteoclastos, reduzindo assim a capacidade de as células cancerígenas da próstata de invadirem e crescerem nos ossos.
 
Os investigadores consideram que estes achados poderão beneficiar pacientes com cancro da próstata em estado avançado com sinais e sintomas de metástases.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.