Antidepressivo Paxil aumenta risco de suicídio

Alerta da Food and Drug Administration

15 maio 2006
  |  Partilhar:

 

O antidepressivo Paxil, com a substância activa paroxetina, aumenta o risco de tendências suicidas nos jovens adultos, alertaram a Food and Drug Administration (FDA) e o fabricante GlaxoSmithKline.
 

 

A FDA ordenou que as caixas do medicamento contenham um aviso sobre as propriedades da paroxetina e que os doentes medicados com a substância sejam sujeitos a uma vigilância permanente, mesmo depois de curados.
 

 

Embora o medicamento Paxil não seja vendido em Portugal, a substância activa, a paroxetina, está presente em vários outros medicamentos reconhecidos pelo INFARMED, nomeadamente o Paxetil, Calmus, Denerval, Oxepar, Seroxat e diversos medicamentos genéricos.
 

 

Em experiências feitas em 15 mil doentes medicados com Paxil ou com um placebo (comprimido sem qualquer efeito terapêutico), as tendências suicidas tiveram mais incidência nos jovens dos 18 aos 30 anos. Houve 11 tentativas de suicídio sem êxito, oito das quais entre os jovens analisados, precisou a FDA, enquanto no grupo tratado com um placebo, só se verificou uma tentativa.
 

 

Numa carta publicada na sua página na Internet, a FDA recomenda "interpretar estes resultados com prudência". O responsável da pesquisa e desenvolvimento no sector de psiquiatria clínica da América do Norte da GlaxoSmithKline, John Kraus, afirmou que a empresa continua a defender que as vantagens do Paxil compensam largamente os riscos.
 

 

Fonte: Lusa e Agências Internacionais
 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.