Anticorpo biotecnológico contribui para remissão da Doença de Crohn
27 junho 2001
  |  Partilhar:

“O tratamento periódico com o anticorpo biotecnológico monoclonal Infliximab pode prolongar a remissão em doentes com Doença de Crohn moderada a grave” - foi a revelação feita hoje por uma equipa de estudo multicêntrica, na reunião “Digestive Disease Week” em Atlanta.
 

 

“Esta é a primeira terapêutica que realmente permite controlar a doença ao longo do tempo, em vez de se proceder ao tratamento quando do aparecimento dos sintomas” afirmou o investigador principal Prof. Stephen Hanauer, Professor de Medicina na Universidade de Chicago e Director do estudo. “O tratamento de manutenção com Infliximab fez decrescer a actividade da doença, prevenindo manifestações agudas da doença e levando os doentes a reduzir ou, em muitos casos, a eliminar completamente o uso de esteróides.”
 

 

A Doença de Crohn, é uma disfunção crónica do intestino, normalmente iniciada na parte final da infância e na adolescência. A doença causa inflamação do tracto gastrointestinal, o que pode resultar em diarreia, febre, dores abdominais e perda de peso. Em cerca de 30% dos doentes a Doença de Crohn causa fístulas – aberturas na parede do intestino que se estendem até aos órgãos mais próximos ou através da superfície da pele.
 

 

De acordo com dados apresentados pela Associação Portuguesa da Doença Inflamatória do Intestino (APDI), a doença inflamatória do intestino (doença de Crohn) afecta actualmente cerca de 10 mil portugueses. Esta patologia é hoje considerada a segunda doença inflamatória crónica de causa desconhecida mais frequente nos países industrializados.
 

 

Os corticosteróides têm sido a terapêutica de primeira linha para doentes com Doença de Crohn moderada a grave. No entanto, doentes que utilizam esteróides de forma prolongada, sofrem muitas vezes um vasto leque de efeitos secundários, que inclui osteoporose, diabetes, insónias, alterações de humor e possível dependência. “Seria muito importante para os doentes se existissem alternativas aos esteróides ou melhores formas de reduzir a dose de esteróides” segundo o Prof. Hanauer.
 

 

Infliximab é um anticorpo monoclonal que bloqueia a actividade do mediador chave da inflamação denominado de factor de necrose tumoral (TNF-alfa). A sobreprodução de TNF-alfa leva à inflamação em condições como aquelas que se verificam na Doença de Crohn, Artrite Reumatóide e outras doenças autoimunes. Crê-se que o Infliximab reduz a inflamação em doentes com a Doença de Crohn unindo-se e neutralizando o TNF-alfa.
 

 

 

Para mais informações sobre a doença/experiências de doentes portugueses com o novo tratamento:
 

 

APDI - Associação Portuguesa da Doença Inflamatória do Intestino
 

Tel.: 22 208 63 50

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.