Antibióticos não parecem ajudar no tratamento da sinusite

Estudo publicado na revistao “American Medical Association”

17 fevereiro 2012
  |  Partilhar:

Os antibióticos, que a maioria dos médicos prescreve para o tratamento da sinusite, não reduzem o tempo de recuperação, nem diminuem os sintomas mais do que a toma de um placebo, dá conta um estudo publicado na revista “American Medical Association”.

 

Nos EUA, uma em cada cinco prescrições de antibióticos são para o tratamento da sinusite. Como cada vez surgem mais bactérias resistentes a este tipo de medicamentos, os investigadores da Washington University School of Medicine, nos EUA, decidiram verificar se este tipo de tratamento era eficaz.

 

Para o estudo os investigadores, liderados por Jay F. Piccirillo, contaram com a participação de 166 adultos que apresentavam sintomas de sinusite aguda. Para serem incluídos no estudo os pacientes tinham de ter sintomas moderados, severos ou muito severos. Os pacientes com sinusite crónica ou complicações decorrentes da doença não foram incluídos no estudo.

 

Aos pacientes foi administrado, durante 10 dias, um antibiótico, a amoxicilina, ou um placebo. Os dois grupos tomaram medicação para alivar as dores, tosse, febre e congestão nasal.

 

Os investigadores avaliaram os sintomas dos pacientes no início e três, sete, dez e vinte oito dias após o início do tratamento. Em cada avaliação, os pacientes tinham de preencher um questionário, Sinonasal Outcome Test-16, que avaliava vários parâmetros da qualidade de vida associados à doença.

 

Os resultados mostraram que três dias após o início do tratamento não havia diferenças entre o grupo que recebeu o tratamento com antibiótico ou placebo. Ao dia sete, houve uma pequena melhoria, avaliada a partir das respostas ao questionário, no grupo de recebeu o tratamento. Contudo, a primeira autora do estudo, Jane M Garbutt, refere que esta pequena diferença não representa um notável alívio dos sintomas.

 

Esta pequena melhoria desapareceu dez dias após o tratamento, altura em que alguns dos pacientes dos dois grupos começaram a deixar de ter sintomas ou começaram a apresentar melhorias.

 

Os resultados mostraram que “os antibióticos não são necessários para o tratamento da sinusite”, revelou em comunicado de imprensa, Jay F. Piccirillo.

 

Em vez de prescreveram antibióticos, os investigadores sugerem que os médicos deveriam aconselhar a toma de medicamentos que tratasse só os sintomas como a dor, febre, tosse e congestão nasal e acompanhar o desenvolvimento da doença para avaliar a necessidade de tratamento adicional.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.