Antibiótico natural trata tuberculose

Estudo publicado na “EMBO Molecular Medicine”

20 setembro 2012
  |  Partilhar:

A tuberculose poderá ser tratada por uma substância secretada por uma bactéria que se encontra habitualmente no solo, sugere um estudo publicado na revista “EMBO Molecular Medicine”.
 

A tuberculose é uma doença infeciosa que causa cerca de dois milhões de mortes anualmente. Dado que a eficácia dos atuais tratamentos, nomeadamente, isoniazida e rifampicina, estão ser comprometidos devido ao desenvolvimento da resistência, é urgente a identificação e desenvolvimento de novos tratamentos.
 

A natureza e a evolução forneceram a algumas bactérias mecanismos de defesa para as proteger de outros micoorganismos que partilham o seu habitat. Assim, na opinião do líder do estudo, Stewart Cole, a identificação e teste destes produtos naturais é uma forma interessante de encontrar novos fármacos para o combate de doenças infeciosas.
 

Na verdade foi esta a abordagem utilizada pelos investigadores da École Polytechnique Fédérale de Lausanne, na Suiça, tendo descoberto que o “pyridomycin”, um antibiótico natural produzido pela bactéria Dactylosporangium fulvum era capaz de matar seletivamente a bactéria causadora da tuberculose, o Mycobacterium tuberculosis (M. tuberculosis). Foi também constatado que este antibiótico era eficaz contra as micobactérias que já tinham desenvolvido resistência contra os fármacos habitualmente utilizados no seu tratamento.
 

Os investigadores foram capazes de identificar a proteína alvo do antibiótico. Através do isolamento de estirpes de M. tuberculosis mutantes resistentes ao antibiótico natural e da sequenciação do seu genoma os autores do estudo identificaram um gene, o inhA, responsável pela resistência.
 

Os cientistas referem que este gene é necessário para produzir a proteína InhA, um alvo já conhecido do fármaco isoniazida. Contudo, como este antibiótico natural se liga a uma região e de uma forma diferente à enzima consegue tratar de forma eficaz as estirpes de micobactérias resistentes.
 

O facto de termos descoberto que o “pyridomycin” é capaz de matar o M. tuberculosis através da inibição da InhA, mesmo em micobactérias resistentes à isoniazida, poderá ajudar no desenvolvimento de fármacos capazes de combater as infeções provocadas por estas bactérias.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.