Antiácido aumenta risco de pneumonia em ventilados

Estudo publicado na revista "Chest"

23 setembro 2009
  |  Partilhar:

Um vulgar antiácido, usado para tratar úlceras gástricas, aumenta em três vezes o risco de os doentes ventilados contraírem pneumonia, refere um estudo da Wake Forest University School of Medicine, nos EUA, apresentado na revista “Chest”.

 

Uma equipa de investigadores, liderada por David L. Bowton, avaliou 834 doentes submetidos a cirurgia cardiotorácica e ventilados que receberam um dos seguintes antiácidos como terapêutica preventiva das úlceras: o ranitidina ou pantoprazole.

 

Os dois fármacos são eficazes na diminuição do ácido no estômago, mas o pantoprazole, por ser um fármaco mais recente e tido como mais eficaz, é primeira escolha nos hospitais norte-americanos. Contudo, de acordo com este estudo, os doentes aos quais foi administrado pantoprazole apresentaram um risco de contraírem pneumonia três vezes superior ao dos indivíduos que tomaram o outro antiácido.

 

Em doentes ventilados, as pneumonias são a principal causa de morte por infecção adquirida em ambiente hospitalar. Neste estudo, para além das directrizes actuais que recomendam a elevação da cabeça dos doentes ventilados, de modo a impedir a entrada das secreções gástricas nos pulmões, os médicos advertem os especialistas para a necessidade de determinar se, de facto, é mesmo imprescindível a administração de anti-ácidos. Caso não exista outra alternativa, os médicos aconselham a que seja administrado o ranitidina.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.