Anestesia aumenta risco de Alzheimer

Estudo publicado no “Journal of Alzheimer's Disease”

29 março 2010
  |  Partilhar:

Num estudo realizado com ratinhos, cientistas espanhóis verificaram que, embora a anestesia seja segura em ratinhos normais, é potencialmente prejudicial nos roedores com factores de risco genéticos para desenvolvimento da doença de Alzheimer.

 

Alguns estudos epidemiológicos têm mostrado uma maior prevalência da doença em pacientes submetidos à anestesia com isoflurano (um dos anestésicos mais comuns por inalação).

 

Neste estudo, publicado no “Journal of Alzheimer's Disease”, foi verificado que o uso repetitivo da anestesia aumenta o risco de desenvolvimento de alterações semelhantes às observadas em ratinhos com mutações da proteína beta-amilóide (que promove a morte das células cerebrais) que está implicada na manifestação da doença.

 

Deste modo, a equipa liderada por Maria Angeles Mena, do Laboratório de Neurofarmacologia do Hospital Ramon y Cajal, em Madrid, Espanha, revela que, antes da anestesia cirúrgica, o ideal será conhecer a tendência genética dos pacientes, de modo a ser usada uma anestesia personalizada.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.