Analise bem como costuma sorrir...

Se não mostra os dentes revela mais afectividade

30 setembro 2004
  |  Partilhar:

As pessoas que sorriem com os lábios unidos, sem mostrar os dentes, são vistas pelos outros como mais afectivas, segundo um estudo comparativo sobre o efeito dos diferentes sorrisos na percepção da afectividade.Segundo explicou à Agência Lusa o autor do estudo, o psicólogo e professor Freitas-Magalhães, existem três tipos de sorriso: o largo, quando os lábios deixam ver os dentes, o sorriso superior, em que apenas se mostram os dentes de cima e o sorriso fechado, que esconde os dentes, sem alterar muito a fisionomia do rosto. Em contraste, surge a face neutra ou sem sorriso, que é a que menos permite inferir sobre a afectividade de quem sorri.De todos, o sorriso fechado parece ser o que melhor traduz a afectividade já que, como explicou o especialista, «quanto mais as pessoas sorrirem com um sorriso fechado, mais afectivamente são percepcionadas», por este ser também um «sorriso de sedução».Quanto às diferenças entre sexos, «as mulheres usam mais o sorriso fechado que os homens, daí que sejam vistas como mais afectivas do que eles», precisou Freitas-Magalhães.O investigador salientou ainda que «as mulheres sorriem mais socialmente, até para evitarem situações desagradáveis. Sorriem e não sabem porquê, o que parece um paradoxo, mas que na verdade é uma forma de agradar os outros». É um sorriso quase involuntário, mais «verdadeiro» e «sedutor» considerou. Já os homens sorriem «em sinal de dominação», de forma mais «voluntária e estratégica», disse.Em comum, porém, homens e mulheres têm o «sorriso amarelo», uma expressão usada só em Portugal e que, segundo o psicólogo, é conotada com «um sorriso de troça e que não é verdadeiro».Neste estudo, iniciado em final de 2003 e terminado este ano, colaboraram 400 rapazes e 400 raparigas entre os 18 e os 25 anos, todos estudantes universitários, a quem foram mostradas imagens dos três tipos de sorrisos e da face neutra com o objectivo de ver até que ponto condicionavam a percepção da afectividade.Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.