Análise à urina poderá prevenir o cancro do colo do útero

Estudo publicado na revista “BMJ Open”

03 maio 2019
  |  Partilhar:
Um novo estudo demonstrou que uma análise à urina poderá ser tão eficaz como o teste de Papanicolau no rastreio do vírus do papiloma humano (ou HPV), precursor do cancro do colo do útero.
 
O cancro do colo do útero é mais prevalente em mulheres com 30 a 35 anos de idades. As estirpes responsáveis pela maioria deste tipo de cancro são a HPV-16 e HPV-18.
 
Contudo, o estádio pré-cancerígeno é detetável entre cinco a 10 anos de antecedência. Acontece que muitas mulheres não fazem o rastreio do HPV por acharem o teste embaraçoso ou desconfortável.
 
Conduzido por uma equipa de investigadores liderada por Emma Crosbie, da Universidade de Manchester, Reino Unido, o estudo sugere que as amostras para teste de Papanicolau, as auto-amostras vaginais, ou as amostras de urina conseguem ser eficazes na deteção de infeção de alto risco por HPV.
 
Para a sua investigação, a equipa contou com a participação de 104 mulheres que foram examinadas através de dois tipos de kit de rastreio do HPV.
 
Cerca de dois terços das mulheres tiveram um resultado positivo para qualquer tipo de HPV de alto risco e um terço testou positivo para as estirpes HPV-16 e HPV-18.
 
Do total, 18 mulheres apresentavam alterações pré-cancerígenas no colo do útero que requeriam tratamento. Com um dos kits de rastreio do HPV, as auto-amostras, as de teste de Papanicolau e as de urina detetaram 15 dos casos. Com o outro kit de rastreio de HPV foram detetados 16 dos casos.
 
“Estes resultados proporcionam uma impressionante prova de princípio de como o teste do HPV à urina pode detetar células pré-cancerígenas, mas precisamos de ensaiá-lo num maior número de mulheres (…)”, comentou Emma Crosbie. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar