Analgésicos podem mascarar análise a próstata

Estudo da University of Rochester Medical Center

11 setembro 2008
  |  Partilhar:

Um estudo da University of Rochester Medical Center em Rochester, Nova Iorque, refere que os consumidores frequentes de anti-inflamatórios não esteróides, conhecidos como AINES, apresentam níveis de antigénio específico da próstata (PSA) 10% mais baixos que os que os não tomavam.
 

A PSA é uma proteína produzida pelas células da próstata e os seus níveis elevados no fluxo sanguíneo podem indicar a presença de cancro da próstata.
 

 

O estudo, que envolveu 1.319 homens norte-americanos com mais de 40 anos, adverte para o facto da redução dos níveis de PSA provocada pela toma de medicações poder mascarar o risco de um homem contrair cancro na próstata sem que haja alteração do respectivo risco.
 

 

«Se houver um paciente que esteja próximo do limite normal mais alto (em termos de PSA) ou tenha atingido valores acima do limite e agora esteja abaixo por causa da toma de analgésicos, isso poderia modificar o facto de ele ser ou não encaminhado para uma biopsia» disse à BBC, o investigador Eric Singer.
 

 

«Embora os nossos resultados sejam consistentes com outras pesquisas que indicam que determinados analgésicos podem reduzir o risco de um homem contrair cancro na próstata, as novas descobertas são preliminares e não comprovam a existência de uma ligação directa», sublinha Edwin van Wijngaarden, outro dos investigadores.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.