Amnistia Internacional critica pena de morte

Cerca de 1526 pessoas executadas em 2002

15 abril 2003
  |  Partilhar:

A Amnistia Internacional (AI) divulgou o relatório anual quanto à aplicação da pena de morte em todo o Mundo. Segundo a AI, pelo menos 1526 pessoas foram executadas, em 2002.
 

 

A AI está preocupada com o tratamento que os EUA reservam para os suspeitos de terrorismo. A execução de três sequestradores de um barco em Cuba merece a condenação da organização. No ano passado, registou-se uma diminuição no número de execuções: 1526 pessoas morreram, enquanto que, em 2001, o número de mortes por decisão judicial chegou aos três mil. O pico de execuções verificou-se em 1996, houve 4272 mortes. Um aumento exponencial, já que, uma década antes, o número de execuções registadas em todo o Mundo não chegou a um milhar.
 

 

Segundo o relatório da Amnistia Internacional, em 1986, o número de execuções foi de 743. Adianta ainda a Amnistia Internacional, no ano passado, as autoridades chinesas executaram 1060 pessoas. O Irão (113 morte) e os Estados Unidos da América (74) figuram também na lista de países com maior número de execuções.
 

 

Fonte:Jornal de Notícias
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.