Amizade tem uma base genética

Estudo publicado na “Proceedings of the National Academy of Sciences”

21 janeiro 2011
  |  Partilhar:

Os genes não são só partilhados pela família mas também pelos amigos. O novo estudo publicado nos “Proceedings of National Academy of Sciences" (PNAS) sugere que as pessoas escolhem os seus amigos de acordo com as características presentes no seu ADN.

 

Para este estudo, os investigadores da University of Califórnia, nos EUA, analisaram o papel dos genes nas relações humanas tendo por base dois estudos de saúde americanos independentes, os quais forneceram informação sobre as redes sociais dos participantes e as sequências do seu genoma.

 

Após terem analisado os marcadores genéticos específicos dentro das relações sociais de cada indivíduo, os investigadores, liderados por James Fowler, constataram que as pessoas tendem a estabelecer amizades com as que partilham pelos menos dois dos seis marcadores avaliados.

 

O estudo constatou que estes resultados persistiam mesmo após se ter em conta a tendência das pessoas para fazerem amizade dentro da mesma área geográfica. Os investigadores descobriram que os indivíduos portadores do gene DRD2, associado ao alcoolismo, tinham uma maior tendência a estabelecer relações de amizade com aqueles que também o tinham. Por outro lado, os indivíduos que não eram portadores mantinham tendencialmente relações de amizade com as pessoas que também não tinham este gene.

 

No entanto, foi também verificado que as pessoas portadoras de um gene associada à personalidade extrovertida tendem a fazer amigos com aqueles que não o apresentam. Por outro lado, os líderes estabelecem, preferencialmente, relações com os seus seguidores.

 

De acordo com os autores do estudo, os resultados sugerem que os genes moldam o ambiente social e que, por sua vez, podem afectar o comportamento humano. Assim, estes dados sugerem que os investigadores, que desenham e analisam os estudos de associação genética, deveriam ter em conta estas influências, e que o papel da genética nas redes sociais pode ajudar a moldar a evolução humana.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 2Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.