Amígdalas podem ser porta de entrada ao HIV

Investigação publicada no “American Journal of Pathology”

11 dezembro 2007
  |  Partilhar:

Um novo estudo traz novas explicações para os relatos de contaminações por HIV através da prática de sexo oral. Segundo o estudo, publicado na revista "The American Journal of Pathology", as amígdalas podem ser as responsáveis.
 

 

Até agora, era um completo mistério encontrar explicações clínicas para o relato de pacientes que diziam ter sido contaminados pelo vírus através da prática de sexo oral. Isso porque as gengivas, mesmo feridas, produzem queratina, que as fortalece contra o contágio, e a saliva tem propriedades antivirais.
 

 

Segundo um estudo efectuado por investigadores dos NIH, as amígdalas têm muitas células com uma proteína denominada CXCR4 -- um dos receptores do HIV para a invasão e posterior multiplicação.
 

 

É uma faca de dois gumes. As amígdalas facilitam a detecção de elementos patogénicos perigosos ao organismo para o posterior combate pelo sistema imunitário, mas, ao invés, ficam mais frágeis e expostas a esses invasores. No caso de uma infecção por HIV, essa é uma estratégia nada eficaz adoptada pelo organismo.
 

 

Os dados da equipa, liderada por Sharon M. Wahl, "sugerem que a expressão aumentada de moléculas associadas à conexão e entrada do HIV, associada aos factores antivirais inatos reduzidos, podem tornar as amígdalas num local potencial para a transmissão oral".
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.