Ameaças contra médico da OMS que defende genéricos também contra a sida
25 agosto 2001
  |  Partilhar:

As ameaças de morte contra um funcionário colombiano da Organização Mundial de Saúde (OMS) que defende o fabrico de genéricos para o tratamento de epidemias como a sida no Terceiro Mundo estão a causar alguma preocupação.
 

 

O médico German Velasquez, que reside na localidade francesa de Ferney-Voltaire, a poucos quilómetros do seu lugar de trabalho na OMS, em Genebra, encontra-se sob protecção especial, depois de ter sido agredido nas cidades do Rio de Janeiro e de Miami (Florida) e de ter recebido ameaças telefónicas no seu domicílio.
 

 

A própria OMS, que dirige a empresa farmacêutica norueguesa Gro Harlem Brundtland, guarda um precioso silêncio sobre a matéria, que tem sido motivo de referências na Imprensa suíça e de outros países.
 

 

O silêncio da organização mundial levou mesmo um colega de Velasquez, que pediu o anonimato, a dizer que a organização optou pela "política da avestruz", em vez de enfrentar o problema.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.