Ambulâncias saem às ruas de Lisboa

Empresas de transporte de doentes queixam-se de falta de condições

19 dezembro 2005
  |  Partilhar:

 

Muitas empresas de transporte de doentes poderão encerrar se o Ministério da Saúde não alterar rapidamente as tabelas de pagamento, alertou o presidente de uma associação do sector que organizou domingo um protesto em Lisboa, onde participaram mais de 100 ambulâncias.
 

 

O protesto, organizado pela Associação de Transportadores de Doentes em Ambulância (ATDA), contou também com a adesão da Associação Portuguesa de Transportadores de Doentes e Sinistrados (APTDS).
 

 

O presidente da ATDA sintetizou os problemas em causa, destacando que "os termos dos acordos de convenção com o Ministério da Saúde estão totalmente desactualizados, pois estão em vigor desde 1985, sendo anteriores à legislação que abriu o sector de transporte de doentes às empresas privadas". Por outro lado, "a tabela de preços está completamente desfasada da realidade e foi elaborada num período em que só as corporações de bombeiros transportavam doentes", acrescentou. Os empresários do sector exigem "a reavaliação da legislação em vigor e a sua aplicação prática" e estão contra "a concorrência desleal", nomeadamente por parte de táxis.
 

 

A ATDA queixa-se que o Ministério da Saúde não responde aos seus pedidos de audiência e manifesta-se disposta a organizar uma nova concentração e marcha de ambulâncias em Lisboa num dia útil.
 

 

Fonte: Lusa
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.