Amamentação diminui risco de hipertensão

Estudo publicado no “American Journal of Epidemiology”

07 novembro 2011
  |  Partilhar:

As mães que amamentam os seus filhos podem ter um menor risco de desenvolver hipertensão, sugere um estudo publicado no “American Journal of Epidemiology”.
 

Os especialistas recomendam que, até aos seis meses, os bebés sejam alimentados exclusivamente com leite materno e continuem a ser alimentados com este leite e alimentos sólidos até terem completado um ano.
 

A amamentação protege os bebés, nomeadamente, contra a diarreia ou infecções do ouvido médio. Estudos anteriores já haviam demonstrado que as mulheres que amamentavam apresentavam ao longo das suas vidas um menor risco de desenvolver diabetes, colesterol elevado e doenças cardíacas.

 

Para este estudo, os investigadores da University of North Carolina, nos EUA, investigaram a relação entre a amamentação e o risco de desenvolvimento de hipertensão em 56.000 mulheres americanas que tinham tido pelo menos um filho e que tinham participado no “Nurses Health Study II”.
 

Os resultados do estudo demonstraram que as mulheres que tinham alimentado os seus filhos com leite materno, até aos seis meses, apresentaram um menor risco de desenvolver pressão arterial elevada nos 14 anos seguintes, em comparação com aquelas que tinham alimentado os seus filhos com leite de fórmula.
 

Do total das participantes, cerca de 8.900 mulheres foram diagnosticadas com hipertensão. Contudo, o risco era 22% maior para aquelas que não tinham amamentado o seu primeiro filho, em comparação com aquelas que o fizeram durante os primeiros seis meses.
 

Os investigadores também constataram que, em comparação com as mulheres que tinham amamentado os seus filhos até ao primeiro ano de idade, as mulheres que nunca tinham amamentado ou que o tinham feito apenas durante três meses ou menos tinham um risco quase 25% maior de desenvolver hipertensão. Estes resultados tiveram em conta outros factores como a dieta e a prática de exercício físico.
 

De acordo com a líder do estudo, Alison Stuebe, estes resultados não provam que a amamentação confira uma protecção a longo prazo contra a pressão arterial elevada. É possível que outros factores para além da amamentação contribuam para esta situação, nomeadamente um ambiente stressante no trabalho.
 

Contudo, é possível que de facto a amamentação tenha um benefício directo. Estudos realizados em animais constaram que uma hormona que está envolvida no processo de amamentação − a oxitocina − tem efeitos na pressão arterial.
 

Caso a amamentação seja um factor de protecção, Alison Stuebe estima que 12 % dos casos de hipertensão que ocorrem nas mulheres com filhos possam estar associados a uma amamentação "subóptima".

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.