Alimentação na gravidez influencia eczemas infantis

Estudo publicado na “Allergy”

01 março 2010
  |  Partilhar:

O aumento do consumo de vegetais verdes e amarelos, de citrinos, de produtos hortícolas e de frutas ricas em betacaroteno durante a gravidez diminui o risco dos bebés desenvolverem eczemas, revela um estudo publicado na revista “Allergy”.

 

O betacaroteno e a vitamina E são dois antioxidantes, substâncias que ajudam a combater os radicais livres formados durante os processos celulares, que estão presentes em vegetais e em frutas. Investigações anteriores sobre o consumo destes antioxidantes durante a gravidez e o desenvolvimento de alergias na infância tinham apresentado resultados contraditórios.

 

Para este estudo, os investigadores da Universidade Fukuoka, no Japão, contaram com a participação de 763 mulheres grávidas, com uma média de 30 anos, para avaliaram o efeito do consumo de legumes e frutas no desenvolvimento precoce de eczema dos seus filhos.

 

Durante a décima sétima semana de gravidez, as mulheres foram inquiridas sobre a sua história médica e pessoal. Quando os seus filhos atingiram os 16 ou 24 meses de idade, as participantes forneceram informações sobre o parto, a lactação, o número de irmãos mais velhos e a exposição ao fumo de tabaco.

 

O estudo revelou que, mesmo depois de se considerarem outros factores de risco para o desenvolvimento de eczema, as mães que consumiam maiores quantidades de vegetais verdes e amarelos, citrinos e vegetais e frutas ricas em betacaroteno durante a gravidez tinham uma menor probabilidade de terem filhos com eczemas do que as que comiam menores quantidades. Na amostra estudada, o número de crianças que desenvolveu eczema foi, respectivamente, de 32 e 54 para os dois grupos.

 

Assim, os investigadores concluem que o consumo de vegetais verdes e amarelos, citrinos e produtos hortícolas ricos em betacaroteno e vitamina E nas mulheres grávidas merece uma investigação mais aprofundada, dado que ele pode ser eficaz na prevenção de doenças alérgicas nos bebés.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar