Alimentação dos bebés respeita cumprimento de requisitos

Declarações da secretária de Estado da Alimentação e Investigação Agroalimentar

15 março 2013
  |  Partilhar:

Os alimentos para bebés respeitam todos os requisitos relativos a resíduos de pesticidas e as amostras que ultrapassavam os limites máximos permitidos não se encontravam rotuladas como comida para bebés, assegurou o Governo.
 

De acordo com um relatório da Autoridade Europeia de Segurança Alimentar (AESA) referente a 2010, Portugal é um dos cinco países europeus onde foi encontrada comida para bebé a violar o limite permitido de resíduos de pesticidas.
 

Na sequência do relatório da AESA, a secretaria de Estado da Alimentação e Investigação Agroalimentar revelou à agência Lusa que “os alimentos produzidos especificamente para bebés respeitam o cumprimento de requisitos próprios, nomeadamente quanto à sua composição nutricional, resíduos de pesticidas e rotulagem específica”, previstos na legislação relativa aos alimentos à base de cereais e aos alimentos destinados a lactentes e crianças até aos 3 anos.
 

A secretaria adiantou ainda que das 13 amostras analisadas em 2010 e que constam do relatório da AESA como alimentos para bebés, as duas amostras que ultrapassaram o limite máximo de resíduos “não são na realidade consideradas alimentos especificamente para bebés (baby food)”.
 

“Estas duas amostras dizem respeito a alimentos à base de cereais que não se encontravam rotulados como alimentos para bebés, sendo os mesmos destinados ao consumidor geral”, disse a Secretaria de Estado.
 

“Da análise de risco, feita com base no pressuposto de se tratar de alimentos para bebés, os valores encontrados (0.039 mg/kg e 0.054mg/kg) não representam qualquer risco para o consumidor”, disse.
 

Segundo a secretaria de Estado, a comida para bebé está enquadrada num grupo de alimentos destinados a uma alimentação especial e são controlados quanto à sua composição nutricional, resíduos de pesticidas e contaminantes.
 

Este controlo é complementado com uma apreciação e análise de notificação prévia de comercialização destes produtos pela Direção Geral de Alimentação e Veterinária que, apesar de ser facultativa na União Europeia, é obrigatória em Portugal, acrescenta.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 1
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.