Alguns antidepressivos aumentam o risco de catarata

Estudo publicado na revista “Ophthalmology”

24 março 2010
  |  Partilhar:

As pessoas que tomam antidepressivos da classe dos inibidores selectivos de recaptação da serotonina (ISRS) correm um maior risco de desenvolver catarata, revela um estudo canadiano publicado na revista “Ophthalmology”.

 

Investigadores da University of British Columbia analisaram registos de um banco de dados de residentes do Quebec, todos com mais de 65 anos. Compararam os dados de 18.700 pessoas que tinham cataratas com os de 187 mil que não apresentavam o problema de saúde.

 

Verificaram que os pacientes que tomavam ISRS apresentaram uma probabilidade 15% maior de serem diagnosticados com catarata ou de precisarem da cirurgia para o problema oftalmológico.

 

O grau de risco entre os diferentes ISRS variou consideravelmente. Por exemplo, tomar fluvoxamina aumentou o risco de catarata em 39% e em 51% a probabilidade de necessitar de cirurgia; a venlafaxina aumentou o risco em 33 e 34%, respectivamente; já a paroxetina aumentou em 23% o risco de a cirurgia ser necessária. O estudo não verificou a mesma co-relação relativamente ao consumo dos antidepressivos fluoxetina, citalopram e sertralina.

 

"Mesmo que esses resultados sejam surpreendentes e possam influenciar as escolhas dos psiquiatras ao prescrever ISRS, não devem ser motivo de alarme entre as pessoas que tomam estes medicamentos", justificou, em comunicado enviado à imprensa, o co-líder da investigação, Frederick S. Mikelberg.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.