Alfa-bloqueadores associados ao risco de AVC

Estudo publicado no “Canadian Medical Association Journal”

14 dezembro 2015
  |  Partilhar:
Os homens idosos que tomam alfa-bloqueadores, habitualmente utilizados no âmbito da próstata aumentada, apresentam um risco elevado de acidente vascular cerebral (AVC) isquémico durante a fase inicial do tratamento. Contudo, este efeito não está presente nos homens que tomam outro tipo de medicamentos para a pressão arterial, defende um estudo publicado no “Canadian Medical Association Journal”.
 
Os alfa-bloqueadores foram desenvolvidos para controlar a hipertensão, mas atualmente são utilizados principalmente nos homens idosos com hipertrofia da próstata, uma vez que comparativamente com outros fármacos fornecem uma menor proteção cardiovascular. Os alfa-bloqueadores são fortes vasodilatadores e podem ter efeitos adversos. Os homens que tomam estes fármacos podem apresentar uma diminuição significativa da pressão arterial após a primeira toma ou nos dias seguintes, o que aumenta o risco de AVC.
 
Para o estudo os investigadores do Hospital Hsin-Chu da Universidade nacional de Taiwan, na China, analisaram o risco de AVC durante o início da toma de alfa-bloqueadores em 7.502 homens com uma média de 71 anos. Os pacientes tiveram um AVC e uma nova prescrição de alfa-bloqueadores ao longo dos três anos do estudo.
 
Os investigadores observaram que houve um risco aumentado de AVC isquémico ao longo dos 21 dias após o início do tratamento. Contudo, este risco diminui no período posterior, após 22 a 60 dias.
 
O estudo apurou que, os homens que não estavam a tomar outros fármacos para a pressão arterial apresentavam um risco duas vezes maior de AVC isquémico durante o período inicial do tratamento com os alfa-bloqueadores, comparativamente com aqueles que tinham iniciado o tratamento mais tarde.
 
Por outro lado, verificou-se que os pacientes que estavam a tomar outros fármacos para a pressão arterial não apresentavam um risco aumentado de AVC, talvez porque estavam habituados aos fármacos e aos seus efeitos na estabilização da pressão arterial.
 
Os autores do estudo aconselham algum cuidado quando se prescreve alfa-bloqueadores a pacientes que não estejam a tomar outros fármacos anti-hipertensores.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.