Alergia aos ácaros: aumentada eficácia da vacinação

Estudo publicado na revista “Immunology Letters”

13 maio 2013
  |  Partilhar:

A eficácia das novas vacinas de ADN envolvidas na prevenção das alergias aos ácaros poderá ser aumentada através de uma descarga elétrica, dá conta um estudo publicado na revista “Immunology Letters”.
 

Mais de 20% dos indivíduos dos países desenvolvidos tem alergia aos ácaros, os quais podem ser encontrado nas habitações, células mortas da pele e nas proteínas excretadas. O contacto com estas proteínas produz, em alguns indivíduos, uma reação do sistema imunológico exacerbada que pode resultar no aparecimento de asma, rinite e dermatite.
 

As vacinas que contêm componentes dos ácaros na sua composição, já tinham sido exploradas anteriormente. Contudo, como estes componentes não são purificados podem potencialmente causar novas alergias a outras substâncias. Adicionalmente este tratamento requere a toma de 50 a 80 injeções ao longo de dois a cinco anos.
 

Apesar de os testes laboratoriais com as vacinas de ADN terem conduzido a resultados promissores, este tipo de vacinas não tiveram sucesso na vacinação de humanos e primatas, especialmente quando administradas através das injeções convencionais.
 

Neste estudo os investigadores da Chulalongkorn University, na Tailândia, tentaram aumentar a imunogenicidade da vacina através de alterações na estrutura do ADN, do método de administração e da quantidade de ADN.
 

Os investigadores, liderados por Alain Jacquet, constataram que as alterações realizadas na quantidade e a estrutura do ADN não influenciavam a eficácia da vacina. Contudo, a administração da vacina através de um método conhecido por eletroporação, o qual envolve a utilização de uma descarga elétrica, aumentou significativamente a produção de anticorpos específicos contra os ácaros.
 

Posteriormente os investigadores vacinaram diferentes grupos de animais com baixas doses de ADN, tendo analisado se estes desenvolviam alergia aos ácaros. Foi verificado que os animais cuja administração da vacina envolveu a eletroporação não desenvolveram alergia.
 

Os autores do estudo acreditam que estes resultados são um ponto de partida importante para a realização de um ensaio clínico. Na sua opinião a eletroporação pode ser um método eficaz de diminuir a dose e frequência das vacinas envolvidas na prevenção de alergias em humanos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.