Álcool: abstinência total durante a gravidez

Mesmo pequenas porções podem levar a malformações no feto

02 maio 2005
  |  Partilhar:

 

 

As grávidas devem abster-se totalmente de consumir bebidas alcoólicas durante a gravidez, sob pena de causarem lesões duradouras e irreparáveis ao bebé, alerta um relatório publicado na semana passada pelas autoridades sanitárias da Noruega.
 

Mesmo em quantidades limitadas, o álcool aumenta o risco de malformações à nascença, perturbações da visão, problemas de crescimento, lesões cerebrais, perturbações comportamentais ou ainda problemas cognitivos, sublinha o relatório, que se baseia em vários estudos.
 

 

«Esses problemas persistirão durante toda a existência» do novo ser, advertiu Jens Guslund, alto responsável da Direcção de Saúde norueguesa. Estas conclusões deitam por terra a ideia, até agora aceite na Noruega, de que meio copo de vinho por dia durante os primeiros três meses de gravidez e um copo diário nos meses seguintes não representavam perigo para o bebé.
 

 

Segundo a presidente do grupo de peritos criado no ano passado, Ann Mari Brubakk, um copo de vinho por dia provoca uma interrupção momentânea da respiração do feto, o que aumenta os riscos de parto prematuro ou de perturbações psicomotoras. Um consumo maior implica riscos de malformações, incluindo fraqueza cardíaca, afirmou a mesma especialista citada pela imprensa.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.