Airbags parecem seguros para mulheres grávidas

Estudo publicado na revista “Obstetrics & Gynecology”

30 dezembro 2009
  |  Partilhar:

Os airbags salvam vidas nos acidentes de viação e isso também parece ser válido para as mulheres grávidas e seus fetos, adverte um pequeno estudo publicado na revista “Obstetrics & Gynecology” que reforça o facto de os riscos do equipamento ultrapassarem os das possíveis complicações.

 

Devido ao facto de vários estudos já terem demonstrado que os airbags, quando activados, provocam danos em crianças e bebés, persistem ainda dúvidas de que estes equipamentos de segurança possam causar danos nos fetos.

 

No entanto, um estudo recente revela que as ocupantes grávidas de veículos com airbags não se encontram sujeitas a maior risco de complicações na gravidez, como cesarianas, sofrimento fetal e baixo peso à nascença.

 

Neste estudo da University of Washington, nos EUA, os investigadores recolheram dados sobre 2.207 mulheres grávidas envolvidas em acidentes de automóvel, comparando o resultado entre sinistros em que os airbags foram activados e os restantes em que o equipamento não existia.

 

Verificou-se um aumento de 70% de partos prematuros e um aumento até o triplo de morte fetal nos acidentes em que foram activados os airbags, em comparação com os acidentes em carros que não tinham o equipamento. Contudo, para a líder da investigação, Melissa A. Schiff, especialista em epidemiologia, estes dados não são conclusivos, porque, na realidade, a amostra é demasiado pequena. “Serão necessários mais estudos para aferir a relação entre a activação dos airbags, o parto prematuro e a morte fetal”, considera a especialista.

 

"Os airbags são seguros para a maioria dos casos", reforça a investigadora, considerando que "se sabemos que a activação do airbag num acidente de viação grave pode salvar a vida, não seria inteligente evitar os airbags e um risco teórico de uma complicação menor (…) Sair pelo vidro da frente comporta um risco de vida muito maior para a mãe e para o bebé”.

 

No entanto, a especialista reforça que a melhor protecção para as mulheres grávidas provém do uso do cinto de segurança.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.