Agricultura manipulada

EUA defendem utilização de transgénicos na ajuda alimentar

29 julho 2002
  |  Partilhar:

Os Estados Unidos defendem a utilização de alimentos transgénicos na ajuda alimentar aos países em vias de desenvolvimento alegando que esses produtos "fazem parte do sistema alimentar".
 

 

"É natural que os produtos biotecnológicos façam parte da nossa ajuda alimentar", sublinhou o chefe da equipa negociadora norte-americana para a Agricultura, Allen Johnson, que apresentou oficialmente em Genebra a outros membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) as propostas do seu país para a reforma do sector.
 

 

Os Estados Unidos, o principal doador de ajuda aos países da África Austral actualmente afectados por uma forte seca, deverão enviar alimentos geneticamente modificados (GM) para aliviar a fome.
 

 

A directora do Programa Alimentar Mundial (PAM) para o sul de África, Judith Lewis, reconheceu que a decisão dos Estados Unidos de enviar milho transgénico foi criticada pelos países da União Europeia, mas afirmou que "se trata de um assunto entre doadores e receptores de ajuda".
 

 

Os países europeus acusaram os Estados Unidos de utilizarem em muitos casos a ajuda alimentar para eliminar excedentes em benefício dos seus agricultores e intervir assim no mercado.
 

 

A área cultivada com plantas geneticamente modificadas aumentou 20 por cento em 2001, uma tendência que se manterá em 2002, apesar da resistência dos consumidores de algumas zonas do globo, como a Europa.
 

 

Os agricultores plantaram cerca de 52 milhões de hectares de plantas geneticamente modificadas em 2001, mais 8 milhões que no ano anterior, de acordo com um relatório divulgado em Janeiro pelo International Service for the Acquisition of Agri-Biotech Applications (ISAAA).
 

 

Para 2002, o relatório do ISAAA prevê um crescimento de 10 por cento na superfície cultivada com plantas geneticamente modificadas.
 

 

Os EUA são claramente o país que lidera o processo (35 milhões de hectares de plantações GM em 2001) mas existem mais doze onde já se cultivam transgénicos: Argentina (11,7 milhões), Canadá (3,2 milhões), China, Bulgária, Austrália, África do Sul, Roménia, França, Espanha, Uruguai, México e Ucrânia.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.