Agonistas de dopamina triplicam risco de Distúrbios Compulsivos

Estudo da University of Pennsylvania

28 julho 2008
  |  Partilhar:

O tratamento com agonistas de dopamina, usados no tratamento de doentes com Parkinson, triplica o risco de desenvolvimento de distúrbios compulsivos, conclui um estudo da University of Pennsylvania, nos EUA.
 

 

No site oficial da universidade, os investigadores explicam que o tratamento com agonistas de dopamina aumenta o risco de ocorrência de distúrbios compulsivos, tais como no jogo, compras e comportamento sexual.
 

 

Segundo a investigação, os indivíduos medicados com estes fármacos possuem um risco de adoptar este tipo de comportamentos três vezes superior.
 

 

Embora esta relação não seja nova, pelo menos para o jogo compulsivo, é a primeira vez que é estabelecida uma ligação entre os agonistas de dopamina e as compras e comportamento sexual compulsivos.
 

 

Enquanto a dopamina é necessária para o controlo de certos aspectos das faculdades motoras, também desempenha um papel relevante noutras regiões do cérebro, tais como nas regiões envolvidas no sistema de compensações, explica Michael W. Jakowec, professor assistente de Neurologia na University of Southern California.
 

 

O especialista acrescenta ainda que “um desequilíbrio no sistema de compensações resulta no desenvolvimento de comportamentos compulsivos”.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.