Adolescentes são mais suscetíveis a desenvolver doenças mentais

Estudo publicado nos “Proceedings of the National Academy of Sciences”

23 janeiro 2012
  |  Partilhar:

Os adolescentes são mais suscetíveis a desenvolver doenças como a adição ou a depressão do que os adultos, revela um estudo publicado nos “Proceedings of the National Academy of Sciences”.

 

Para este estudo os investigadores da University of Pittsburgh, nos EUA, compraram a atividade cerebral de ratinhos adolescentes e adultos que estavam envolvidos em tarefas nas quais eles antecipavam uma recompensa. 

 

Os investigadores verificaram que havia um aumento da atividade das células cerebrais dos ratinhos adolescentes numa área do cérebro pouco comum, o estriado dorsal, que está habitualmente associada à formação do hábito, ao processo de decisão e a uma aprendizagem motivada. Por outro lado, o estudo constatou que no cérebro dos ratinhos adultos, estas áreas não ficaram ativadas na antecipação da recompensa.

 

“A região do cérebro, tradicionalmente associada com recompensa e motivação, conhecida por núcleo accumbens, foi ativada de forma semelhante tanto nos adultos como nos adolescentes ", revelou, em comunicado de imprensa, a líder do estudo, Bita Moghaddam." Mas a sensibilidade do estriado dorsal em resposta à antecipação da recompensa, mostra que nos adolescentes, a recompensa afeta regiões do cérebro que são críticas para a aprendizagem e a formação do hábito.”

 

“A adolescência é uma idade em que se manifestam a maioria dos sintomas associados às doenças mentais, como a esquizofrenia, a doença bipolar e distúrbios alimentares, por isso acreditamos que este é um período crítico para a prevenção deste tipo de doenças”, revelou Bita Moghaddam.

 

“Uma melhor compreensão de como os processos cerebrais de recompensa e de tomada de decisão ocorrem nos adolescentes é fundamental para perceber a base destas vulnerabilidades assim como desenvolver estratégias de prevenção”, conclui a investigadora.

 

Neste momento os investigadores continuam a comparar o comportamento dos adolescentes e dos adultos, especialmente no que se refere aos estimulantes, como as anfetaminas, e o seu feito na atividade cerebral.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.