Adolescentes cansadas

Consumo de café, tabaco e álcool entre as causas

02 agosto 2004
  |  Partilhar:

Um estudo publicado recentemente no “Archives of Pediatrics and Adolescent Medicine” (http://archpedi.ama-assn.org/) afirma que cerca de um terço das adolescentes sofre de moléstias físicas com muita frequência. No entanto, as causas das dores de cabeça, dores de estômago e de costas, e do cansaço matinal, parecem não estar directamente ligadas a problemas físicos, mas sim ao entorno e comportamento das afectadas.O facto das raparigas adolescentes se queixarem com muita frequência destes distúrbios levou os investigadores a tentarem compreender a natureza, alcance e possíveis causas dos sintomas tão frequentes nesta faixa etária de raparigas.O estudo foi realizado nos Estados Unidos da América, entre 1997 e 1998, e envolveu mais de 8.000 raparigas entre os 11 e os 16 anos. Muitas destas raparigas sentim moléstias físicas quase todas as  semanas: quase um terço tinha dores de cabeça, outras tantas, fadiga matinal, uma quarta parte sofria de dores de costas e uma quinta parte de dores de estômago.“Apesar de se poder estabelecer relações entre estas queixas e outros fenómenos biológicos, como a menstruação, a maioria destes sintomas parecem estar associados a factores de risco social, ao meio e ao comportamento das jovens”, afirmam os autores.Ao fazer uma análise mais detalhada destes resultados os autores verificaram que as jovens afectadas por algum destes problemas também padeciam dos outros. Por exemplo, das que tinham dores de cabeça, 53% também tinha dores de estômago e 74% fadiga matinal.Estes resultados levam os autores do estudo a afirmar que para tratar de modo eficaz as adolescentes que sofrem destes sintomas, é necessário realizar uma avaliação extensa para identificar tanto os presentes sintomas como qualquer doença relaccionada.O consumo de cafeína, de álcool e de tabaco é um factor de risco, que parece aumentar as probabilidades de vir a sofrer moléstias com frequência.Os autores dos estudo também recordam que as jovens adolescentes são muito vulneráveis, muitas fumam para controlar o peso, outras são intimidadas por colegas de escola. Estes e outros exemplos levam a relacionar os sintomas físicos a outros problemas, como transtornos alimentares e falta de apoio familiar, por exemplo.  Baseando-se em estudos anteriores, os investigadores afirmam que “o apoio dos pais, amigos e professores pode ajudar a reduzir os comportamentos de risco que estão relacionados com os problemas físicos das adolescentes”.Fonte: elmundosalud.com

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.