Acupunctura para tratar dependência de cocaína é questionada

Estudo não comprova eficácia das terapias alternativas

04 janeiro 2002
  |  Partilhar:

Tratar dependentes de cocaína com a aplicação de agulhas de acupuntura nas orelhas, uma técnica popular usada pelas terapias alternativas, não mostrou mais eficácia do que a terapia de relaxamento para vencer a dependência.
 

 

Alguns dos 620 adultos dependentes de cocaína divididos em três grupos reduziram o consumo da droga, mas a diminuição foi a mesma tanto para o grupo que recebeu acupuntura auricular cinco vezes por semana quanto para os pacientes de terapia de relaxamento ou inserções de agulhas de acupuntura que não foram desenvolvidas para produzir efeito terapêutico.
 

 

"Não verificamos que a acupuntura seja mais eficaz do que a inserção de uma agulha ou um controlo de relaxamento na redução do uso de cocaína", disse Arthur Margolin, da Escola de Medicina da Universidade de Yale, em New Haven, Estados Unidos.
 

 

A acupunctura auricular é muito usada - mais de 400 clínicas de tratamento de dependentes químicos nos EUA e na
 

Europa oferecem o serviço -, mas o mecanismo pelo qual ela actua ainda é um mistério, referiu o cientista na edição desta semana do Journal of the American Medical Association.
 

 

No estudo, os participantes receberam oito semanas de tratamento e também foi oferecido aconselhamento. Apenas 279 concluíram o programa e menos de uma em cinco pessoas disse ter interacção com um conselheiro por semana. Para Margolin, os resultados deste estudo não são suficientes para avaliar a eficácia da acupunctura. "Serão necessárias mais investigações para examinar a contribuição da acupunctura com uma função auxiliar”.
 

 

MNI - Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.