Acompanhar a guerra pela televisão pode provocar stress

Especialistas alertam para perigos e lançam conselhos

09 abril 2003
  |  Partilhar:

Psicólogos advertem que acompanhar a cobertura contínua da guerra contra o Iraque pela televisão poderia prejudicar a saúde física e mental de algumas pessoas, causando stress, insónia, dores de estômago e sentimentos de culpa, em alguns casos.
 

 

As crianças também poderiam ser afectadas se os adultos não vigiarem o que vêem na televisão sobre a guerra ou se não lhes explicar o que está a acontecer, segundo psicólogos entrevistados pela agência de notícias Reuters em vários países.
 

 

Essa cobertura da guerra no Iraque foi a mais extensa e vívida de qualquer conflito bélico, com os jornalistas que acompanham as tropas norte-americanas e britânicas a oferecer reportagens ao vivo desde as várias cidades iraquianas.
 

 

Michael Nuccitelli, psicólogo e director da SLS Health, uma clínica em Brewster, Nova Iorque, disse que a cobertura da guerra podia tornar-se um hábito tão forte como um programa desportivo. «Estamos a receber uma informação atrás da outra», afirmou Nuccitelli. «É quase como ver um jogo de futebol; o telespectador quer continuar a saber o desenrrolar da situação», continuou. «Isso aumenta a formação de simbolismos e, obviamente, provoca stress e ansiedade».
 

 

A psicóloga alemã Hildegard Adler comentou que já atendeu pacientes angustiados pelas imagens da televisão, assim como com sentimentos de culpa ou medo, e insistiu para que as pessoas aparentemente estáveis não são imunes a esses sentimentos. «Todos temos um certo grau de sensibilidade», afirmou a psicóloga.
 

 

Já Patricia Saunders, psicóloga e directora do Centro de Saúde Mental de Manhattan, EUA, disse que muitas pessoas não estão conscientes que o seu grau de stress está a aumentar.
 

 

«O nosso corpo também expressa emoções», comentou. «As pessoas sofrem mais dores de cabeça, de estômago e até ocorre o aumento de infecções menores; o stress afecta o sistema imunitário».
 

 

Os especialistas são unânimes nos conselhos para combater o stress provocado pela guerra: deixar de ver televisão. «As pessoas necessitam limitar a sua exposição aos meios de comunicação, especialmente à televisão», disse Saunders. «Ver televisão cerca de duas vezes ao dia é suficiente».
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.