Ácidos gordos saturados podem prejudicar diretamente coração

Estudo publicado na revista científica “De Gruyter Open”

30 abril 2015
  |  Partilhar:
Os ácidos gordos saturados podem prejudicar diretamente o coração, enquanto os ácidos gordos insaturados oferecem proteção contra aqueles, indica um estudo recente.
 
Conduzido por uma equipa de investigadores liderados por Nicolas Bousette, do Instituto do Coração de Montreal, Canadá, o estudo demonstrou que existem diferenças muito significativas na acumulação de ácidos gordos saturados e insaturados nas células do músculo cardíaco e que os ácidos gordos saturados induzem a apoptose nesse tipo de células. Os ácidos gordos insaturados, pelo contrário, protegem aquelas células dos efeitos prejudiciais provocados pelos ácidos gordos saturados.
 
O azeite é considerado, universalmente, somo sendo uma opção muito mais saudável do que a gordura de origem animal. Os óleos obtidos a partir de plantas, como o azeite e o óleo de girassol, são compostos essencialmente por ácidos gordos insaturados. Por sua vez, a gordura de origem animal é composta por ácidos gordos saturados. Numa refeição normal, os hidratos de carbono são a principal fonte de energia produzida pelo coração. No entanto, numa situação de jejum, os ácidos gordos livres tornam-se no produtor principal de energia. 
 
Sabe-se que a gordura saturada é prejudicial para a saúde cardíaca. No entanto, o impacto deste tipo de gordura sobre o músculo cardíaco apenas recentemente foi alvo de estudo. 
 
Estudos conduzidos em diversas linhas celulares indicaram que os ácidos gordos saturados podem conduzir à morte celular através de stress do retículo endoplasmático, que consiste num processo celular envolvido no desenvolvimento de muitas doenças.
 
Para este estudo, os investigadores avaliaram o impacto do palmitato e oleato sobre a absorção celular de ácidos gordos, na síntese dos triglicerídeos, na distribuição lipídica intracelular, no stress do retículo endoplasmático e na morte celular em cardiomiócitos primários.
 
Os fenómenos acima descritos foram pela primeira vez observados em células diretamente derivadas do coração, confirmando assim o papel crítico desempenhado pelos ácidos gordos saturados no desenvolvimento de doenças cardíacas. 
 
Esta descoberta sugere que os ácidos gordos saturados possam estar envolvidos no desenvolvimento de problemas cardíacos nos pacientes diabéticos devido ao papel primário desempenhado pelo metabolismo lipídico no desenvolvimento da diabetes de tipo 2.
 
Sendo assim, estudos futuros nesta área poderão melhorar o nosso conhecimento sobre a possível relação entre a acumulação lipídica intracardiomiócita e o desenvolvimento da cardiomiopatia diabética.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.