Ácidos gordos ómega-3 protegem saúde ocular das mulheres

Estudo publicado no “Archives of Ophthalmology”

21 março 2011
  |  Partilhar:

O consumo regular de peixe e de ácidos gordos ómega-3 diminuem o risco de desenvolvimento de degenerescência macular associada à idade em mulheres, de acordo com o estudo que irá ser publicado na edição de Junho do “Archives of Ophthalmology”.
 

Para este estudo, os investigadores da Harvard Medical School, em Boston, EUA, contaram com a participação de 38.022 mulheres que não tinham sido diagnosticadas com degenerescência macular associada à idade, uma patologia que está associada com a perda de visão. Para avaliar os hábitos alimentares das participantes foi-lhes solicitado o preenchimento de questionários, no início do estudo, os quais incluíam informação sobre o consumo de ácido docosahexaenóico (DHA), ácido eicosapentaenóico (EPA) (ácidos gordos ómega-3 encontrados no peixe), ácido araquidónico e o ácido linoléico (ácidos gordos ómega 6). Durante os 10 anos de período de acompanhamento, as participantes responderam a questionários adicionais que permitiram avaliar a sua saúde ocular, com especial foco no diagnóstico de degenerescência macular associada à idade.
 

O estudo revelou que, durante o período de acompanhamento, foram diagnosticados 235 casos de degenerescência macular associada à idade. Após terem tido em conta a idade e tratamento atribuído foi verificada que, em comparação com as mulheres que tinham ingerido menores quantidades de DHA, as que tinham consumido maiores quantidades apresentavam um risco 38% menor de desenvolver este tipo de patologia. Resultados similares foram encontrados nas mulheres que ingeriram maiores quantidades de EPA e também nas que tinham consumido maiores quantidades dos dois ácidos gordos em simultâneo.
 

Relativamente ao consumo de peixe constatou-se que a ingestão de uma ou mais porções de peixe por semana, em comparação com menos de uma porção por mês, estava associada com um risco 42% menor de desenvolver degenerescência macular associada à idade. De acordo com os autores do estudo este menor risco foi principalmente associado ao consumo de atum e de Outros peixes de carne escura.
 

O consumo de ácido linoléico, mas não de araquidónico, foi associado com o aumento do risco desta patologia, contudo esta associação deixou de ser significativa após os investigadores terem tido em conta outros factores de risco.
 

Os investigadores liderados por William G. Christen concluem assim que, o consumo regular de alimentos que contenham DHA e EPA reduz significativamente a incidência de degenerescência macular associada à idade nas mulheres.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 1 Comentar

Visão

Desde há muito tempo, comecei a ver menos de uma vista (direita) que da outra, muito imperceptivel. Ultimamente acentuou-se mais.Quero um bom médico, qual?

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.