Ácidos gordos ómega-3 podem evitar e tratar danos nas células nervosas

Estudo publicado na revista “Journal of Neuroscience”

16 janeiro 2012
  |  Partilhar:

Os ácidos gordos ómega-3 protegem as células nervosas de eventuais danos e ajudam na sua regeneração, sugere um estudo publicado no “Journal of Neuroscience”.

 

Quando as células nervosas são danificadas devido a um acidente ou ferimentos, os pacientes sentem dor, fraqueza e paralisia muscular, ficando estes com deficiência e com uma baixa taxa de recuperação.

 

Neste estudo, os investigadores da University of London, no Reino Unido, centraram a sua atenção nas células nervosas periféricas, que estão envolvidas na transmissão de sinais entre o cérebro, a medula espinal e o resto do corpo. Estas células têm a capacidade de se regenerar, mas, apesar dos avanços médicos, os pacientes geralmente só têm uma boa recuperação, quando a lesão é pequena.

 

Os ácidos gordos ómega-3, que têm sido muito investigados devido aos seus benefícios para a saúde, são essenciais para um normal crescimento e desenvolvimento. Como o nosso organismo não os consegue produzir, estes têm que ser ingeridos através da alimentação, podendo ser encontrados nas nozes, peixes gordos e óleos vegetais.

 

Neste estudo os investigadores, liderados por Adina Michael-Titus, isolaram células nervosas de ratinhos e simularam os danos causados por um acidente ou ferimento, deixando nomeadamente as células privadas de oxigénio. Os dois tipos de danos conduziram à morte de um número significativo de células nervosas. Contudo, os investigadores verificaram que a presença de ácidos gordos ómega-3 protegeu as células e diminui a morte celular.

 

O estudo também revelou que elevados níveis de ácidos gordos ómega-3 ajudaram os ratinhos a recuperar de danos nos nervos ciáticos mas facilmente, e os seus músculos estavam menos sujeitos a danos posteriores .

 

Estudos anteriores, realizados pela mesma equipa de investigação, já tinham demonstrado “que os ácidos gordos ómega-3 tinham um efeito benéfico em várias condições neurológicas. Neste estudo mostramos que estes também têm um papel importante no tratamento de danos das células nervosas periféricas”, revelou, em comunicado de imprensa, Adina Michael-Titus.

 

A investigadora acrescentou que apesar de ainda ser necessária mais investigação” os nossos resultados indicam que os ácidos gordos ómega-3 podem proteger as células nervosas danificadas, que é o primeiro passo para uma recuperação neurológica ter sucesso”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.