Acidentes em Portugal: crianças são as maiores vítimas

Relatório do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge

18 março 2013
  |  Partilhar:

As crianças até aos 14 anos foram as maiores vítimas de acidentes domésticos e de lazer em 2012, dá conta um relatório do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA).
 

Os dados provisórios do INSA referentes a 2012 e aos quais a agência Lusa teve acesso referem que a maior parte dos acidentes (36,4%) ocorreu em casa, 22,7% na escola e 11,5% em atividades ao ar livre. Do total de acidentes reportados, 6,6% obrigaram ao internamento da vítima.
 

O relatório refere que as quedas estiveram na origem da maioria das lesões (59,5%), seguindo-se os ferimentos causados por objetos (11,7%).
 

O INSA refere que estes dados têm-se mantido estáveis, revelando-se “fundamentais para delinear programas de prevenção”. Para o instituto, é necessário melhorar a recolha de informação sobre acidentes para definir políticas de segurança eficazes.
 

O relatório sobre Acidentes na União Europeia, divulgado pelo INSA, revela que uma média anual de 40 milhões de pessoas na UE necessitam de tratamento hospitalar e 233.000 morrem como resultado da ocorrência de um acidente.
 

Nos últimos cinco anos os acidentes relacionados com o tráfego rodoviário e o trabalho estão em constante declínio, mas o mesmo não se verifica em relação aos traumatismos por acidentes domésticos e de lazer.
 

Atualmente, a maioria dos traumatismos (73%) são devido a acidentes domésticos e de lazer, afetando particularmente grupos vulneráveis, indivíduos com menos recursos, crianças e idosos, refere o documento da UE.
 

“É evidente que muitas oportunidades de prevenção de acidentes domésticos e de lazer permanecem inexploradas”, diz o relatório, frisando que existem grandes diferenças entre os países quanto ao número de acidentes fatais e traumatismos acidentais com tratamento hospitalar, por 100.000 habitantes.

 

O INSA refere que nas áreas de segurança do trabalho e segurança rodoviária, a necessidade de informação sobre acidentes tem sido reconhecida há algum tempo.
“Existem alguns sistemas de informação implementados localmente e utilizados a nível da UE. Isso resultou de um maior entendimento político e compromisso para tornar estradas e locais de trabalho mais seguros”, refere em comunicado.

 

Relativamente aos acidentes domésticos e de lazer, “o quadro é muito incipiente”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.